quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

De Montserrat a Bolo Auxiliadora

Passou a correria do natal, ufa! Mas não pense que eu estava perdida nos corredores de um shopping. Nesses vários dias em que estive longe do blog, usei meu tempo livre pra curtir a minha cozinha nova que, finalmente, ficou pronta. Até engordei um pouquinho nessa semana, de tantos quitutes que resolvi testar. Gosto do cheirinho de cebola sendo refogada, de molho de tomate de verdade e até me aventuro a pilotar o fogão com freqüência, apesar de não ser muito dada a seguir receitas ao pé da letra.

Na outra semana, porém, o Duda me convenceu que deveríamos pôr em prática uma receita de doces que havia sido publicada no caderno de gastronomia da ZH. De nada adiantaram meus argumentos de que a quantidade de açúcar e de ovos daria pra deixar diabética e elevar o colesterol de toda a família. Na última sexta-feira, então, resolvemos colocar mãos à obra.

O doce deveria se chamar Montserrat. Trocamos as nozes por castanhas-do-pará e resolvermos batizar o novo quitute de Auxiliadora. As massas ficaram maravilhosas, mas o ponto deveria ser mais firme para podermos enrolar os docinhos. Pra não ficar no prejuízo, resolvi assar um pão-de-ló e rechear com as deliciosas massas de ovos e de castanhas. O bolo pode não ter ficado tão gostoso como a receita original, mas valeu a brincadeira!

domingo, 16 de dezembro de 2007

A queda

Outro dia fiz um comentário sobre o livro Diante da Dor dos Outros, da Susan Sontag. Hoje estou "ilustrando a matéria"...

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Todeschini nunca mais

Hoje, 14 de dezembro, 76 dias após termos efetuado a compra da cozinha, é que estamos com tudo pronto, entregue e montado pela Todeschini. Isso que a empresa estava com uma promoção que garantia a entrega e montagem em até 15 dias úteis! Isso significa que nós deveríamos estar com a cozinha colocada desde 28 de outubro. O prazo, inclusive, foi um dos motivos da compra.

Nem vou falar dos diversos atrasos dos montadores, entregadores e supervisores, do rodapé avariado, das paredes sujas e das inúmeras vezes que precisei limpar a casa a cada um das nove visitas que fizeram: a montagem foi em drágeas.

Na próxima segunda-feira está marcada a colocação da pedra do balcão e, só então, poderemos curtir a cozinha. O peru do natal, pelo menos, está garantido. E vamos estourar um champanha!

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Extra!

Tem texto novo na minha coluna do site da Lila. Quer espiar? Clique aqui.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

O que Jesus compraria no Natal?

Logo abaixo está o trailer do documentário americano sobre o consumo excessivo nas festas de final de ano. Fiquei curiosa pra assistir ao filme!

domingo, 9 de dezembro de 2007

Ala vip

Ontem The Police e Os Paralamas do Sucesso fizeram um show aqui em casa... ai, quem me dera! Na verdade, o Multishow passou os shows dos caras que aconteceram no Rio de Janeiro. Assisti de camarote, cantei e, de vez em quando, levantei pra dançar. Lembrei do primeiro show que vi dos Paralamas, no Gigantinho, em que fomos de Vital, o fusca vermelho da minha irmã, batizado com esse nome em função da música (quase) homônima. E também de quando Sting esteve em Porto Alegre, numa noite chuvosa, em pleno Olímpico.

Hoje estava conversando com uma amiga que trabalha com espetáculos e comentou da falta de bons lugares para grandes espetáculos em Porto Alegre. Em função disso, é preciso trazer atrações internacionais para teatros menores e, assim, os ingressos ficam caros. Para mim, muitas vezes, proibitivos.

Na próxima vez que The Police estiver por aqui (haverá uma próxima?) gostaria de assistir ao vivo e a cores. Por enquanto, valeu cantar Roxane e Meu Erro, bem contente, no meu camarote particular.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

3 efes

Hoje tem estréia multimídia do novo filme do Gerbase: no cinema, na tevê, em DVD e na Internet. Pra conferir, clique aqui.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Cats


Dedico estas dicas de presentes para o Natal à legião de amigos meus que é fã de felinos. Quem sabe eu ainda me torne uma?

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

One Semester of Spanish - Love Song


Massacration fará versão metal?

Aprender a ler e a contar

Hoje quando estava indo ao supermercado fui abordada por uma mulher de cerca de 30 anos. “Esta é a Lucas de Oliveira?”, perguntou. Respondi afirmativamente e achei estranho, pois estávamos diante de três placas que indicavam o nome da rua. Aos 30 anos, seria difícil que ela precisasse de óculos para ler as placas, o que me fez imaginar que a mulher ou estava com preguiça de olhar a placa ou não sabia ler.

Pois é, os brasileiros novamente foram mal no levantamento sobre educação feito pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Entre os 57 países analisados, o Brasil foi o quarto pior país em matemática e o oitavo pior em leitura. Queremos munir nossas escolas com computadores, mas nossos alunos ainda não aprenderam sequer a interpretar um texto.

Do jeito que anda a educação brasileira, temos de nos preparar para, no futuro, dar mais informações sobre nomes de ônibus e placas de rua.

1x1

Para a imprensa global, o Brasil se comoveu com o drama corintiano. Que eu saiba, o Corinthians tem cerca de 10% dos torcedores brasileiros. Certo, é bastante. Mas 90% vestem outras camisetas como a do Flamengo, a do São Paulo e a do Grêmio. Fui ao estádio no domingo. Vibrei com o rebaixamento do time que abriga as torcidas “Pavilhão 9” e “Irmãos Metralha”. Fiquei triste de ver o meu time apático e sem vontade de jogar, como se estivesse temeroso de ser responsável pelo triste destino do adversário. Se ganhássemos, o espetáculo teria sido completo.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Estréias

Hoje é o lançamento do site da astróloga Lila Rizzon. E a blogueira que vos fala está estreando como colunista! Adorei o convite. Clique aqui e confira as dicas, os textos e os trabalhos da Lila. Além de ler a minha coluna na seção “outras palavras”, é claro!

The Worst Of

A revista americana Blender (nunca ouvi falar!) fez uma eleição das 50 piores canções da história da música. A minha lista seria bem diferente. My Heart Will Go On, da trilha do Titanic, por exemplo, talvez pulasse da 50ª posição para o primeiro lugar! Confira aqui a lista completa.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Falando em Natal

by Kaiser

Natal Bauducco

O hotsite do ano passado era bem mais legal. Mas vale a pena conferir o desse ano. Os web designers se puxaram na tecnologia.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Que não é o que não pode ser

Ontem assisti a um programa muito legal na MTV, chamado Discoteca, falando sobre alguns discos que marcaram a década de 80: “Cabeça Dinossauro”, dos Titãs; “Dois”, do Legião; e “Revoluções por Minuto”, do RPM. Fiquei feliz por ter vivido essa época, por ter quase furado o vinil ouvindo Fábrica e Índios, por ter batido cabeça dançando “Aa Uu” e até por ter um dia achado o Paulo Ricardo lindo. Pode me chamar de saudosista. Mas hoje muito do que ouço no rádio me remete a um museu de grandes novidades. As letras não passam de “ela me deixou”, “não vou te deixar ir embora”, letras e melodias que não contam nada novo. Pelo menos na maioria das bandas de rock/pop brasileiro (eu gosto da Cachorro Grande!). Na mpb, Caetano ficou chato, mas ganhamos Lenine, Seu Jorge, Vanessa da Mata, Balero e Rita Ribeiro. No final das contas, dá pra dizer que continuamos evoluindo. Já não furo o vinil como antes. Mas não deixo de renovar o repertório musical.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Desserviço

Hoje trouxe um iogurte de morango do supermercado. Estava louca pra comer iogurte com granola. Cheguei em casa e... a tampa não tinha o lacre que permite abrir a garrafinha. Forcei, tentei e nada. Então, resolvi ligar para o SAC da empresa. A atendente nem ouviu o que eu tinha pra dizer e já foi pedindo meus dados (eles me arranjam um problema e eu dou o meu contato de graça!). “Certo, senhora Roberta, na sexta-feira, das 8h ao meio-dia, o produto será trocado”. Hoje é quarta! E pra trocar um pote de iogurte será necessário que uma pessoa fique esperando durante toda uma manhã?

O encanador marcou às 8h30. Apareceu às 10h, depois de eu ter ligado, perguntando se estava perdido. A cozinha que deveria ter sido montada no dia 26 de outubro ainda está inacabada. A luminária deveria ter ficado pronta em uma semana. A loja levou duas pra entregar e mandou um funcionário inexperiente pra instalar. Os espelhos precisaram ser colocados duas vezes, pois ficaram mal colados na parede (caíram e poderiam ter machucado alguém).

Além desses, tenho vários exemplos de que o setor de serviços está em completa crise. É um total desrespeito com o cliente. Já tive um chilique por conta das quatro vezes que precisei ficar em casa (incluindo feriado) pra que a cozinha ficasse pronta, mas achei melhor me acalmar, ou teria de trocar o nome do blog pra chiliqueira.blogspot. Não gostaria de me consolar com o fato de que isso não acontece só comigo. É uma pena que essa seja a regra e não a exceção. Os prazos nunca são cumpridos e, muitas vezes, o serviço é meia-boca.

E você? Nunca ficou mofando horas na sala de espera do médico? Ah, se fosse só o iogurte...

Pra quem não viu ao vivo

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Mensagem do Céu

Na quinta, dia 29, irei vivenciar o nascimento de um mapa astral! Sim, me inscrevi na oficina Mensagem do Céu para o Ser, que será ministrada pela astróloga Lila Rizzon, no Yucatan. A função promete ser bem lúdica e descontraída, bem pra gente como eu, que sabe tanto de astrologia como japonês sabe de samba. No meio da brincadeira, o objetivo é descobrir qual o papel dos signos, dos planetas, das casas e dos aspectos em uma carta astrológica. Mais informações, só fazer uma visitinha no blog da Lila.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Sidr

Precisou um ciclone atingir Bangladesh pra eu descobrir que o país é o mais povoado do mundo, com quase mil pessoas por km²! Os brasileiros sofrem de arrocho salarial. Os bengaleses, além da pobreza, padecem de arrocho populacional.

domingo, 18 de novembro de 2007

Eu e o lavabo

Chimarrão domingueiro

O feriado foi de descanso. Curti um chimarrão à beira do Mampituba, joguei conversa fora (desperdício?), encontrei com amigos, tomei cervejinha e, no domingo, aproveitei mais um chimas em casa. A semana se inicia amanhã cheia de desafios e questões a serem resolvidas. Enquanto isso, aceitas um mate?

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Qual a melhor lembrança da sua vida?

Sábado passado assisti a um filme japonês muito maluco. A história se passava (como diria o Rafa) em um entre-lugar, uma espécie de limbo, em que as pessoas faziam um pit stop antes de irem para a eternidade. Lá tinham uma semana para escolher a melhor lembrança das suas vidas, para que fosse gravada em vídeo e levada como recordação para o além. Os “funcionários do “limbo” se encarregavam de produzir o cenário, de chamar atores e de filmar a cena escolhida pelo... digamos assim... finado. Algumas pessoas não conseguiam lembrar de uma coisa boa sequer. Outras recordavam acontecimentos bem simples, como um dia na infância, em que se apresentaram dançando. Uma das cenas mais marcantes foi um homem, que já estava há anos sem conseguir escolher uma só lembrança alegre e descobriu que o melhor momento da sua vida foi quando fez outra pessoa feliz. Caso interesse, o nome do filme é “Depois da vida”.

E você? Garanto que está pensando na melhor lembrança da sua vida.

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Saudades

Tem gente que diz que é a palavra mais bonita do português. Discordo! Beijo, travesseiro e chocolate são bem melhores e me remetem a coisas bem mais gostosas. Pois é, estou com saudades do meu blog. Acho que agora vou poder dar mais atenção a ele!

Um beijo pra vocês. Aproveitem o travesseiro no feriado e, se não estiverem de dieta, comam chocolate!

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Mais de 70 eus!

A Galeria de mArte estava na maior festa nesta noite de quarta-feira (ver post abaixo, 01/11). Literalmente, uma grande exposição: mais de 70 pessoas expondo o seu próprio “eu”. Colagens, fotografias, pinturas, desenhos e o que mais o espelho ousou mostrar. Viva as identidades!

Festa canina

Sempre morei em casa ou em apartamentos no último andar. Ou seja, esta é a primeira vez que moro em algum lugar com alguém “sobre mim”. É engraçado: sei exatamente quando o vizinho de cima chega em casa. É quando ouço “patinhas” pulando no piso superior, fazendo festa e anunciando a chegada do dono.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

A semana

Neste ano, a semana da propaganda está espalhada pelo bairro mais glamouroso da cidade. Tudo a ver com a proposta do evento. Achei bem legal: a programação acontecendo em vários locais, o parque expondo as peças participantes, palestras e oficinas gratuitas. Mais holofotes para os umbigos.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Me, myself and I

A convite da Raquel, vou participar dessa exposição com um (auto)trabalho. Que experiência diferente! Se der, passa por lá.

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Importações

Nesta semana vi a decoração de Natal de um shopping (sim, em pleno outubro!) com o Papai Noel vestindo aquela maravilhosa roupa de inverno. E a vitrina de uma loja com a decoração temática do Halloween. Qualquer dia desses estaremos celebrando o 4 de Julho...

Pra ver das alturas

Um outdoor com 20 mil m² foi criado pela Ad-Air, para a Sorouh Real Estate, principal construtora de Dubai. O tamanho equivale a mais de dois campos de futebol. Segundo o Terra, este é o maior anúncio do mundo. Impacto é o que não falta nessa peça!

2014 vem aí

E o Brasil será sede da Copa em 2014. Será que teremos o mesmo desvio de verba que vimos no Pan? E será que o Rio de Janeiro ganhará mais um estádio de graça do governo? Muita água há de passar por baixo da ponte até 2014... espero que não por baixo dos panos! Gosto de futebol e moro em um Estado em que os três maiores times têm estádios próprios. Vamos torcer pra que vários jogos possam ocorrer em solo gaúcho, pra atrair turistas, recursos financeiros e holofotes para os pampas.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Ausência justificada

Pobre blog. Não o abandonei. É que a correria está grande. Com a função de abrir caixas da mudança, estudar, trabalhar... olha só como é que eu fiquei.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Mudança de hábito

A blogueira que vos fala acabou de mudar de endereço (físico, não virtual!). Sempre disse que uma das maneiras de desenvolvermos a criatividade é sair pra acampar. Quando trocamos o aconchego do lar pela aventura em uma barraca, somos obrigados a pôr em prática a arte do improviso. Se não há copo, bebemos em uma caneca. Se não há churrasqueira, fazemos um fogo de chão. Ao faltar um ingrediente para o almoço, testa-se uma nova receita. E assim, pra tudo é preciso inventar um lado B.

Ontem descobri que mudar de morada é tão aventureiro e estimulante pra a criatividade quanto um fim de semana em um camping. Achei as louças e não encontrei os talheres. Descobri a bolsa das toalhas, mas não sei onde se esconderam os panos de prato. Isso, sem contar que, em uma era de conexões, percebi que estava sem bateria no celular, sem carregador, sem Internet, sem fone fixo, sem rádio e sem tv. Um mundo silencioso, desconectado, sem garfo ou faca: um prato cheio para o improviso. Voltei uns 500 anos na história e fiz um lanche com as mãos. No silêncio, tomei um banho relaxante (o chuveiro estava funcionando!). Fui deitar sem verificar o e-mail e com os cabelos molhados, pois o secador continuava desaparecido. E dormi um sono tranqüilo, numa caminha cheirosa e confortável. Nesse caso, bem diferente de uma barraca.

Apesar de estar novamente conectada, enquanto as caixas não forem abertas, seguiremos acampados. Dentro de casa. Viva a criatividade!

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Previously on Lost

Ótima essa do Desencannes! Sinceramente, Mr. Eko era um dos melhores personagens do Lost. Bem que eles poderiam ressuscitar o moço na próxima temporada!

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Quem te viu e quem te vê

As desventuras do Lula no governo já não me impressionam. Mas a notícia que saiu anteontem no Estadão cujo título é “Livro comprado pelo MEC é acusado de promover o governo”, me deixou bastante temerosa. Segundo a matéria, o livro associa o governo FHC ao desemprego e questiona a sua paternidade do Plano Real. Já o governo Lula é lembrado pelo exemplar combate à fome.

Estaríamos nós voltando aos anos 70, em que os livros traziam imagens maravilhosas dos presidentes militares, textos tratando o 31 de março como uma revolução e não como um golpe? Isso sem contar os hinos que ecoavam nos nossos ouvidos, como “Este é um país que vai pra frente, ô, ô, ô, ô, ô” (eu era bem pequena, mas lembro!).

Há tempos já havíamos descoberto a face assistencialista do Lula. Parece incrível que o mesmo líder metalúrgico – rebelde e revolucionário – que conhecemos possa, hoje em dia, ser acusado de manipular informações para serem usadas em sala-de-aula.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Sem desculpas

Na semana passada quase adotei um cachorrinho. Ele foi deixado no portão da casa da minha sogra, magrinho, com fome e chorando. Eu e o Duda decidimos adotá-lo. O veterinário, porém, descobriu um vírus incurável e o bichinho teve de ser sacrificado. Nem cheguei a conhecer o cão (como dizem os anúncios, a imagem ao lado é meramente ilustrativa). Fiquei bastante triste, pois tudo poderia ser evitado com uma simples vacina. É uma pena que os responsáveis pelo filhote não tenham procurado ajuda. Pior ainda: tem gente que trata suas crianças da mesma forma, deixando passar prazos de vacinas que são aplicadas e distribuídas gratuitamente. Pra descaso e descuido, não há desculpas.

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Diante da dor dos outros

“A guerra era, e ainda é, a notícia mais irresistível – e pitoresca”. Esta frase é de Susan Sontag, no livro “Diante da dor dos outros”, que estou lendo. A autora fala sobre as imagens de guerra que nos chocam e, ao mesmo tempo, prendem nossa atenção.

Um dos mais inquietantes questionamentos que Susan nos traz é a respeito das “nossas” vítimas e das vítimas “dos outros”: “Com relação aos nossos mortos, sempre vigorou uma proibição enérgica contra mostrar o rosto descoberto. (...) Quando se trata dos outros, essa dignidade não é tida como necessária”.

E acrescenta: “Em geral, os corpos com ferimentos graves que aparecem em fotos publicadas são da Ásia ou da África. (...) Pois o outro, mesmo quando não se trata de um inimigo, só é visto como alguém para ser visto, e não como alguém (como nós) que também vê”.

Dói ler isto, não?

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Viva a Marta!

Alguém ousará dizer que ela não é uma vencedora?

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Resta um

Muito joguei quando era criança. Hoje em dia tem pra vender até no R$ 1,99! Pra brincar, só clicar aqui.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Padrões de beleza?

Oliviero Toscani produz mais uma de suas campanhas chocantes ou, no mínimo, polêmicas. Depois da Benetton, agora o click foi para a grife Nolita. Em outdoors e anúncios está estampada a imagem de uma modelo anoréxica, nua, pesando apenas 31 quilos.

Primeiro, a Espanha proibiu modelos muito magras de desfilar na Semana da Moda de Madri. Nesta semana foi anunciado o código de Milão, que exige um certificado médico confirmando que a modelo seja saudável, para poder pisar na passarela da Semana da Moda de Milão.

Uma pena precisarmos desse tipo de proibição pra tentar mudar o padrão de beleza vigente. De um lado Nolita, de outro Botero. Marilyn Monroe, com suas curvas, até hoje é um símbolo de sensualidade. Cada um com seus encantos... Precisamos mesmo definir um padrão? Primeiro, tenho certeza, precisamos de saúde.

domingo, 23 de setembro de 2007

Chove lá fora

Chove desde o feriado de quinta-feira passada. É claro que é ótimo pra namorar, pra ler e também pra fazer de conta que os alimentos não têm calorias. Chuva combina com pipoca, chimarrão, chocolate, pizza, macarrão, bolo de cenoura com chocolate da Nice, sem falar nos maravilhosos bolinhos de chuva com banana. Hummmm! Tomara que pare de chover logo. Assim acabam-se as minhas desculpas pra fazer uma boquinha a mais...

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Pobres prateleiras

“Cai o número de municípios que possuem livraria no país”. Esta notícia foi publicada na última terça-feira, na Folha de São Paulo. Segundo o IBGE, nos últimos sete anos o número de municípios que possuem livrarias no país caiu 15,5%. A pesquisa também verificou que em 609 municípios brasileiros ainda não há sequer uma biblioteca pública.

Gostaria de saber o resultado de uma pesquisa sobre o número de farmácias: será que aumentaram ou diminuíram no mesmo período? Não é lendo bula de remédio que os brasileiros irão evoluir crítica, social e economicamente.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Natureza Quase Morta

Concorridíssima a abertura da exposição na Galeria de Marte. Dei uma passada por lá e gostei muito do que vi. A exposição faz parte da programação da Bienal B e estará de portas abertas até 7 de outubro.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

2x0


No primeiro turno do campeonato brasileiro, o Grêmio venceu no beira-lago. No segundo, em casa. Melhor ainda: em plena semana farroupilha! Aceita um chimas pra comemorar? :o)

Bienal B - Senador

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Faltou a cola!

46 dos 81 senadores declararam ter votado a favor da cassação do presidente do nosso senado. Ou seja, 11 deles esqueceram de levar a cola pro plenário e acabaram votando errado! Pobrezinhos!

Igualzinho ao Brasil

"O povo precisa de um líder em quem possa confiar e apoiar”.

“Encontro-me incapaz de manter minhas promessas. Tornei-me
um obstáculo à concretização dessas promessas”.

Estas frases são de Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão que renunciou ontem ao cargo. Seu governo foi marcado por uma série de escândalos financeiros envolvendo ministros. Más línguas disseram que o primeiro-ministro teria sonegado impostos.

Corrupção há em todos os lugares do mundo. Mas em alguns o uso de jimo cupim facial é mais difundido.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Vergonha

35 senadores votaram a favor. 40 votaram contra a cassação do risonho ao lado. 6 se abstiveram. Tudo no maior sigilo, com direito a voto secreto. Agora dá pra entender por que ele está rindo na foto.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Déjà vu

Veja aqui outras grandes coincidências da publicidade. Acredito que alguns anúncios possam até ser fruto do nosso inconsciente coletivo. Mas, como você pode ver, anuários nem sempre são usados como material de referência...

PS: Obrigada pela dica, Milton!

I am what I am

Meu feriadão foi em Floripa, com direito à aníver da mana, chimarrão na beira da praia e cervejinha com ostra gratinada. Pra completar a festa, fui conferir a Parada da Diversidade. Terminei a semana com um arco-íris e iniciei esta com um eclipse. Quantas emoções!

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

terça-feira, 4 de setembro de 2007

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

11x1

Saiu hoje no Estado de Minas: “Presidiário custa 11 vezes mais que estudante”. Procurei na Internet e não achei os números do nosso Estado. Mas creio que a realidade de Minas Gerais não deva ser tão diferente da nossa.

Concordo que os presos devem ter direito à alimentação, à assistência médica, a uma cama decente e à recuperação (tratamento psicológico, se for preciso). O que eu não entendo é por que eles não trabalham para garantir o seu próprio sustento e a sobrevivência da família que ficou fora das grades. O sistema carcerário poderia ser auto-sustentável, tenho certeza. Sem falar que, ocupados, os presos teriam menos tempo pra planejar fugas, motins, rebeliões e ainda aprenderiam um ofício pra, quem sabe, ganhar a vida quando a pena chegasse ao fim.

Por sua vez, os nossos alunos têm direito à educação de qualidade, bibliotecas com bons livros, professores qualificados e equipamentos atualizados. Porém, os investimentos em educação nunca são prioridade. E enquanto diminuímos a verba para a escola pública, esvaziamos nossas salas-de-aula e povoamos as ruas de crianças analfabetas, carentes de condições mínimas pra viver dignamente. Não será esse um dos motivos pra termos de manter mais pessoas em presídios?

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

The Full Monty

O cinema inspira a vida real! Os atores do “Ou Tudo Ou Nada” devem se sentir homenageados. Li no BlueBus que a rede francesa de roupas masculinas, Celio, contratou homens (nos tamanhos P,M e G e XG) para vestirem apenas cuecas vermelhas. Como diz a matéria, “os Shoppenboys serviam como modelos - a consumidora escolhia o homem com o tipo fisico mais parecido com a pessoa para quem estava comprando (marido, pai, filho) e ele experimentava as roupas para que ela pudesse ver o efeito”. Vale a pena ver a reportagem e acessar o site. Pena eu não entender francês! A idéia é ousada, gostaria de saber qual foi o resultado nas vendas!

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

A arte de sorrir cada vez que o mundo diz não

Nossa cidade ficará com arte por toda parte nesse final de ano! A Bienal do Mercosul acontece de 1º de setembro a 18 de novembro de 2007. Como a mostra está totalmente internacional, o pessoal daqui resolveu se agilizar e colocar o bloco na rua. Dois eventos paralelos estão rolando: Bienal B e Essa Poa É Boa. Tudo com entrada franca, pra todo mundo conferir de perto. A agenda estará cheia nas próximas semanas!

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Grande idéia

O Yahoo! Brasil lançou o prêmio Big Idea Chair. A competição quer estimular idéias inovadoras na inclusão da Internet como canal de fortalecimento de marcas, produtos e serviços. Legal é que o vencedor ganhará uma poltrona roxa, em tamanho real, igual a que está aí ao lado. Vale dar uma olhada no blog criado “em busca da melhor idéia de todos os tempos”. Lá você encontra guarda-chuvas criativos, mesa para segurança pessoal e esconderijos secretos pra guardar os dólares que está guardando pra próxima viagem. Aliás, viagem são algumas dessas invenções... Confira aqui.

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Ops, foi mal

"Se o Piauí deixasse de existir, ninguém ficaria chateado por isso". Essa foi a infeliz declaração de Paulo Zottolo, presidente da Philips do Brasil, em entrevista de apoio ao movimento Cansei. Disse ele que “não se pode pensar que o país é um Piauí, no sentido de que tanto faz quanto tanto fez”.

Tive o prazer de visitar uma vez o sul do Piauí e conhecer a fantástica Serra da Capivara, o sítio arqueológico com maior número de inscrições rupestres do mundo. É de impressionar tamanha beleza geográfica e cultural. E tudo isso fica logo ali, no nosso Piauí. É claro que pra chegar até lá, o aventureiro precisa enfrentar inúmeras rodovias tão cheias de rombos quanto o orçamento desse país. Vale lembrar que o Parque Nacional Serra da Capivara foi criado em 1979 e esteve abandonado nos dez anos seguintes por falta de recursos federais.

Feliz ou infelizmente, o Piauí não pertence ao grupo de estados do centro do país, que está sempre na vitrina. Você já imaginou, por exemplo, os próximos jogos pan-americanos sendo realizados no Piauí? Seria ótimo os piauienses receberem verba para construírem ginásios, estádios, vilas olímpicas, além de receberem milhares de visitantes, atletas e turistas. Tenho certeza que depois de um evento dessa grandeza sendo realizado no Piauí, jamais o presidente de uma empresa como a Philips diria bobagens como a citada acima.

Paulo Zottolo pediu desculpas, mas estudantes fizeram protesto e o comércio local está organizando um boicote aos produtos da Philips. O Piauí naturalmente já sofre as agruras da seca, em função da caatinga. E mais: cidadãos e cidadãs brasileiras vivem por lá, pagam impostos e merecem respeito. Sr. Zottolo, se declarações preconceituosas como a sua deixassem de existir, muitos ficariam felizes por isso.

domingo, 26 de agosto de 2007

Dove Photoshop Effect

Segue a ótima sugestão da Fernanda para o blog. Adorei! Dove acertou em cheio nessa campanha pela "real beleza".

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Bom dia!

O Faceira acaba de completar 100 postagens! E pra comemorar está no ar o novo visual, personalizado. A citação que abre o cabeçalho do blog é de uma música que gosto muito, gravada pela Zizi Possi. Transcrevo abaixo a letra na íntegra que traduz um pouco do meu cotidiano e até o que me motiva a escrever. Desejo a você um ótimo dia!

Bom dia
Swami Jr. e Paulo Freire

Um dia quero mudar tudo
No outro eu morro de rir,
Um dia tô cheia de vida
No outro não sei onde ir,
Um dia escapo por pouco
No outro não sei se vou me livrar,
Um dia esqueço de tudo
No outro não posso deixar de lembrar,
Um dia você me maltrata
No outro me faz muito bem,
Um dia eu digo a verdade
No outro não engano ninguém,
Um dia parece que tudo
Tem tudo pra ser o que eu sempre sonhei,
No outro dá tudo errado
E acabo perdendo o que já ganhei
Logo de manhã, bom dia...
Um dia eu sou diferente
No outro sou bem comportada,
Um dia eu durmo até tarde
No outro eu acordo cansada,
Um dia te beijo gostoso
No outro nem vem que eu quero respirar,
Um dia quero mudar tudo no mundo
No outro eu vou devagar,
Um dia penso no futuro
No outro eu deixo prá lá,
Um dia eu acho a saída
No outro eu fico no ar,
Um dia na vida da gente,
Um dia sem nada de mais,
Só sei que eu acordo e gosto da vida
Os dias não são nunca iguais!

Cuide bem da grama

Li hoje uma notícia que muito me alegrou: em três anos triplicou o número de praças de Porto Alegre adotadas por empresas e associações de bairro. Significa que temos mais áreas verdes bem cuidadas, com flores, árvores e plantas aparadas pra encher os olhos dos porto-alegrenses e os de quem visita nossa cidade.

Isso me faz lembrar de uma plaquinha que sempre me intriga, o tal “não pise na grama”. Concordo que a grama pode ser frágil e, com muito uso, fica rala e feia. Mas pra que serve a grama mesmo? Apenas pra enfeitar praças, jardins e campos de futebol? Ou pra que possamos esticar uma toalha, sentar e aproveitar um chimarrão numa manhã de domingo? Ou, ainda, pra que as crianças possam brincar de pés descalços? Creio que o “não pise na grama” poderia ser trocado por “cuide bem da grama”. E cuidar, nesse caso, significaria não deixar as necessidades do cachorro no espaço público ou alheio, caminhar com calçados adequados, não arrancar folhas e nem deixar lixo no local, além, é claro, de curtir o gramado como um verdadeiro tapete verde.

Torço pra que o número de praças adotadas continue aumentando. E pra que os cidadãos porto-alegrenses também adotem bons hábitos com o nosso verde.

terça-feira, 21 de agosto de 2007

A propósito

Se você ainda não decidiu onde investir a sua noite de quinta ou sexta-feira, vá assistir às Amigas do Peito e aproveite pra dar boas risadas. Veja aqui os locais de venda antecipada de ingressos.

Consulta popular?

Você sabia que amanhã, 22 de agosto, é dia de decidir onde investiremos a verba arrecadada no Rio Grande do Sul? O valor destinado pra realizar os anseios do povo é bem menor esse ano, mas a governadora está prometendo que, pelo menos, irá colocar tudo em prática. Pegue seu título de eleitor ou carteira de identidade e exerça seu direito em www.consultapopular.rs.gov.br Intrigante o governo não querer gastar dinheiro em publicidade para divulgar essa consulta popular... Vamos ver se o critério (pra divulgar as obras realizadas!) será o mesmo em época de eleição!

sábado, 18 de agosto de 2007

Virei fã de Hiro Nakamura!

Lembram da síndrome de abstinência que me abateu depois de terminar a terceira temporada do Lost? Vício é uma coisa séria mesmo. Troquei a cachaça do Lost pela do Heroes. E agora, o que faço quando a última gota, digo, o último capítulo da primeira temporada chegou ao fim? Tenho de admitir: esses americanos são bons em fazer seriados fantásticos e de ficção científica. Vou fechar os olhos e me concentrar como costuma fazer o Hiro. Vai que eu descubra que também tenho o poder de teletransporte e posso viajar até o próximo ano, só pra assistir aos novos capítulos!

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Desencannes

Nesta semana saiu o resultado do 2º Festival Desencannes, segundo definição do site, "o primeiro, único e incomparável festival de propaganda impublicável do mundo". Seguem algumas pérolas premiadas no certame. Se você se sentir lesado por alguma peça (ou se estiver com um tempinho sobrando), clique no link "processe-nos" e ouse processar o pessoal do Desencannes. Esses publicitários...

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Always on my mind

Há 30 anos morreu Elvis Presley. Sim, me lembro do dia em que choramos, desoladas, eu e a Andréia, minha amiga de infância. Na época, a gravadora relançou toda a coleção de vinis do Rei que, óbvio, era caríssima. Quando eu imaginaria que, trinta anos depois, poderia baixar todos os discos do Elvis em mp3, sem pagar nada? Já faz alguns meses que fiz o download e ainda não ouvi tudo. Sem choro, dessa vez.

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Cansei

Que o minuto de silêncio seja apenas o primeiro ato pra mostrar nossa indignação.

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Message in a bottle

“Na era tecnológica ainda há românticos que, por meio de uma mensagem colocada em uma garrafa, confiam ao mar seus pensamentos, piadas ou aquilo que não têm coragem de dizer”. Essas são palavras de Roberto Regnoli, um médico italiano que desde 2005 coleciona garrafas contendo cartas e mensagens e organizou uma exposição com 80 delas.

Quando eu era criança, tinha amigos com quem me correspondia por carta. Hoje em dia quando escrevo mais de meia página a mão fico com os dedos doendo. Será que nossos e-mails de hoje servirão como tema para exposição no próximo século?

13 de agosto

Acredite, hoje é Dia do Pensamento. Então, aí vai um:

“Quem espera atingir a primavera sem passar pelo inverno nunca a
atingirá”.

Gibran Khalil Gibran

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

O friozinho na barriga

Ontem e hoje, por várias vezes, senti um friozinho na barriga. Aquela sensação gostosa que nos energiza, que mexe com a nossa adrenalina, ao mesmo tempo que nos deixa receosos, nos faz pensar se estamos fazendo a coisa certa. Acredito que a vida seja como uma montanha-russa: impossível passar por ela sem sentir um friozinho na barriga. E se não sentir, não tem graça.

Por um lado, viver constantemente com o friozinho na barriga não deve ser nada bom, vira rotina. Por outro, viver muito tempo sem senti-lo é passar um dia após o outro sem emoção, sem tesão.

Desejo a você um ótimo final de semana, com alegrias e um eletrizante friozinho na barriga!

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Aula con Chef Laura Ghia

Ensalada Casa Rodada de primero, Pastel Estrella Federal de segundo. Y de postre Pasta Frola con Membrillo. Si a ti te gustan los platos, tienes que aprender a cocinarlos mientras hablas el idioma español. Fíjate:
24 de Agosto, a las 12 horas
Espaço Idiomas - Calle Prof. Juvenal Müller, 110 - Porto Alegre
Inscripción: (51) 3332 2317 - R$ 20
(Laura, perdona mis errores)

9 to 5

by Harley Schwadron

terça-feira, 7 de agosto de 2007

Aviso ou acaso?

Uma vez levei minha cachorrinha de estimação ao veterinário porque ela andava muito quieta, sem comer e sem brincar. No momento da consulta, a bichinha não parava de saltitar na mesa do consultório, desmentindo todo o meu discurso.

No último domingo, o volante do meu carro não girou como deveria e um barulho esquisito, de peça frouxa e quebrada, não parava de soar dentro do carro. Levei o carro pra oficina e nada foi encontrado. Nem barulho, nem problema na direção.

Posso dizer que minha cachorrinha estava carente. Mas dizer que meu carro precisava de carinho já é demais! Sei lá por que isso acontece. Será mero acaso? Prefiro acreditar que seja a existência chamando a nossa atenção pra um detalhe, pra algo que pode acontecer e, se tivermos mais cuidado, poderemos evitar.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Hospitalidade porto-alegrense

O Ossip, bar tradicional da Cidade Baixa, é conhecido menos pelo seu bom atendimento do que pelo cheirinho de sua pizza de sabor original. Mas na quinta-feira passada o pessoal passou do limite. Minha cunhada veio do Rio de Janeiro e resolveu encontrar-se com amigos nesse boteco, que costuma reunir multidões que superlotam até o meio da Rua da República. Apesar de não haver mesas livres, entramos sem problemas e ficamos próximas ao balcão. Depois de agüentarmos um garçom que propositadamente esbarrava em nossas costas sem pedir licença, conseguimos uma mesa próxima à janela. Guardamos dois lugares, para duas pessoas que estavam por chegar. Cerveja na mão, passados uns vinte minutos, minha cunhada recebeu um telefonema de uma de suas amigas, barradas na porta do bar, e resolveu falar com o dono do estabelecimento.

O diálogo foi mais ou menos assim:
- Essas meninas estão conosco. Há duas cadeiras reservadas na mesa, esperando por elas.
- O bar está lotado, não estamos deixando mais ninguém entrar.
- Mas reservamos as cadeiras!
- Então me mostra.
- Ali, naquela mesa. (Ela teve de sair do bar, virar a esquina para mostrar pelo lado de fora do vidro onde estávamos sentados!).
- Então tá, vou deixar as duas entrarem. Mas vê se não liga pra mais ninguém vir ao bar!

Precisa dizer que levantamos e fomos gastar nossos reais em outro lugar? Mercatto d’Arte! Sempre com bom atendimento, cerveja gelada e uma decoração super astral. Acho que a ampliação do Ossip deve ter aumentado na proporção a falta de gentileza da casa.

Hoje o tempo voa, amor

Ontem foi publicada no Caderno Donna de ZH uma matéria intitulada “Você tem pressa de quê?”. Bem interessante. Hoje em dia temos a impressão de que o tempo passa cada vez mais rápido, que o intervalo entre um aniversário e outro diminuiu.

Creio que essa aceleração dos nossos dias tem a ver com a rapidez com que o mundo evoluiu desde a Revolução Industrial. O homem passou milhares de anos utilizando produtos artesanais e hoje não consegue viver - um só dia - sem celular, notebook e ipod, equipamentos que iniciou a usar há menos de uma década. O intrigante é que toda essa tecnologia veio para nos auxiliar, para agilizar o nosso trabalho. E o que fizemos com o tempo extra que nos sobrou? Agregamos mais e mais tarefas. No verão, li uma reportagem sobre profissionais que levavam seu notebook pra trabalhar na beira da praia. Creio que nenhuma das duas atividades estava sendo cumprida em sua plenitude: nem o trabalho, nem o lazer.

Essa compulsão pelo excesso, pela velocidade, acaba se traduzindo na forma que nos alimentamos, que dirigimos, que nos relacionamos. Parece que não nos dedicamos plenamente a nenhuma das atividades. Se não está fácil colocar o pé no freio, vou tentar, pelo menos, tirá-lo do acelerador.

Porta-voz animal

A idéia é ótima e o conceito também: "Amigo não se compra, se adota". Clique em portavozanimal.com e saiba mais.

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Vale a pena conferir

Pra quem quer se divertir, segue dica cultural que faz parte da 5º Mostra de Inverno de Porto Alegre: o espetáculo "Amigas do Peito". Só nos dias 23 e 24 de agosto, no Teatro Novo DC.

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Brincando de cubista (ou quase!)

Roubei essa dica do blog Foda-se a Pollyanna (aliás, o blog também é outra dica: tudo de bom!). Adorei a brincadeira! Clique em mrpicassohead.com e solte a imaginação. Acima, as “telas” que eu e o Duda criamos.

terça-feira, 31 de julho de 2007

Por mais distante o errante navegante, quem jamais te esqueceria

A Nasa divulgou as imagens mais fiéis da Terra, produzidas até hoje. Notem bem: a água é azul e os continentes mesclam amarelo, verde e tons terrosos. Lá do espaço, não vemos os muros que separam Irã e Iraque, Estados Unidos e México, negros e brancos, cristãos e muçulmanos, ricos e pobres.

Voltando às origens

Hoje tive uma sensação estranha. Voltei ao palco dos meus vinte e poucos anos: o prédio em que estudei na faculdade. Tudo parece e está diferente: as portas com outras cores, as paredes com novos cartazes, as salas ainda mais detonadas. Só o elevador continua o mesmo, com oito botões, indicando oito andares, apesar do prédio só ter cinco. Na verdade, acho que o prédio está como era antes, reflexo de quem estuda por lá. Agora sou estrangeira para aqueles corredores.

segunda-feira, 30 de julho de 2007

Segunda-feira

“Se o horário oficial é o de Brasília, por que os brasileiros precisam trabalhar de segunda a sexta?”
Algum motorista de caminhão

domingo, 29 de julho de 2007

sábado, 28 de julho de 2007

Só vamos então deixar combinado, aqui é a vida real

Sem dúvidas, estou torcendo pelo Brasil no Pan. Sofri com as gurias do vôlei e do basquete. Vibrei com as vitórias do nosso João Derly, do Hugo Hoyama e das craques do futebol feminino. O fato de termos, vergonhosamente, gasto mais do que o triplo do orçamento pra sediar a competição não pode atrapalhar a torcida pelos nossos atletas. Ao mesmo tempo fico pensando que a partir da próxima segunda-feira voltaremos à rotina dos nossos noticiários de TV, rádio e jornal. Trocaremos as entrevistas com os medalhistas e as notícias direto do Engenhão pelas matérias que ficaram arquivadas durante as últimas duas semanas. Ao apagar da pira, soará o apito para o início de um novo jogo: o da vida real.

Pra pensar II

“Todos os homens se dividem, em todos os tempos e também hoje, em escravos e livres; pois aquele que não tem dois terços do dia para si é escravo, não importa o que seja: estadista, comerciante, funcionário ou erudito”.
Friedrich Nietzsche

sexta-feira, 27 de julho de 2007

ASDFG

Quem tem mais de 30 sabe do que estou falando. Sim, confesso: eu fiz curso de datilografia. Básico e avançado. Naquelas máquinas antigas Olivetti, pesadas. As elétricas vieram depois. Pois é. Aos 36 anos descobri que sou do tempo do Ariri Pistola, certamente um contemporâneo da máquina de escrever. Com a velocidade em que o mundo de hoje evolui, a nostalgia está chegando cada vez mais cedo.

O melhor baú

Nas últimas semanas, conversei e encontrei com amigos e colegas do 1º e do 2º graus. Depois de mais de 20 anos, é claro que as pessoas mudaram. Aliás, nem o primeiro e o segundo graus têm mais esse nome! Mas a memória continua viva. O engraçado é ver que cada um tem uma história pra contar, um detalhe diferente, um outro ponto de vista sobre o mesmo fato. Apesar de todo mundo ter passado por bons e maus momentos – como toda criança e adolescente – é ótimo perceber que guardamos o melhor baú, o das melhores recordações. E até o que foi trágico, há duas décadas, pode ter virado motivo de boas gargalhadas!

terça-feira, 24 de julho de 2007

Pra pensar

"Não coce onde não está coçando".
Adolph Meyer, psiquiatra.

sábado, 21 de julho de 2007

Mudança de hábito

Desde que iniciei a trabalhar por conta própria, tenho me impressionado com a quantidade de gente que circula pela cidade no horário comercial. Eu imaginava que o trânsito, as lojas e os supermercados só ficavam lotados na hora do rush. Nas últimas semanas me surpreendi com mais uma constatação.

Há uns quinze dias começaram a vender bilhetes para o show do Cirque du Soleil. Resolvi sair na frente e aproveitar o primeiro dia para conseguir os ingressos mais baratos e os melhores lugares. Imaginei que seria fácil, uma vez que o show acontecerá daqui a dez meses, em um teatro que ainda nem foi construído. Quanto engano! Apesar de ser um dia chuvoso e o galpão de vendas estar na rua, havia uma fila de, no mínimo, umas duzentas pessoas. Um mar de guarda-chuvas à espera de ingressos.

Nesta semana se iniciaram as vendas para os espetáculos do Festival de Inverno de Porto Alegre. Shows de artistas de peso como Frank Solari, Engenheiros do Hawai e Fito Paez a preços de barbada: R$ 10 e R$ 15. Cheguei meia hora depois da bilheteria ter aberto e encontrei novamente mais de duas centenas de gaúchos enfileirados em busca de ingressos para o seu divertimento.

Hoje, além de muitas pessoas trabalharem em horários alternativos, ficou pra trás o velho hábito de deixar tudo pra última hora. A cidade cresceu e o mundo mudou enquanto eu estava, das 9h às 19h, trabalhando entre quatro paredes. Aos poucos estou descobrindo o lado de fora do aquário.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Direto da natureza

Na semana passada o blog tirou “férias”. Olha que texturas legais eu encontrei nesses diazinhos de folga.

quarta-feira, 18 de julho de 2007

Que país é esse?

Estou triste e envergonhada, como acredito que grande parte da população esteja hoje com o acidente do vôo 3064 da Tam, que matou cerca de 200 cidadãos. Cidadãos que votam; que pagam impostos e mesmo assim precisam pagar escola, plano de saúde, previdência privada; que têm família, filhos e amigos que neste momento devem estar chorando a sua falta. Ainda não se sabe o motivo principal para a queda da aeronave. O que todos nós sabemos é que há muito Congonhas vem trazendo insegurança à população, por se localizar em uma área central de São Paulo. Que a pista principal do aeroporto é considerada pequena. Que, apesar das reformas implementadas pela Infraero em função dos problemas de drenagem, a pista não tem ranhuras e continua escorregadia em dias de chuva. Que na segunda-feira, dia 16 de julho, um avião da empresa Pantanal perdeu o controle na aterrissagem. E que milhares de pessoas – ou melhor, vidas – transitam diariamente por este que é o aeroporto mais movimentado da América do Sul. Porém, hoje já vi notícias de autoridades supondo que a culpa seja do piloto, que infelizmente não tem mais o direito de se defender.

A crise aérea brasileira chegou ao seu limite. E dessa vez não será mais possível “relaxar e gozar”, como propôs a ministra do turismo, Marta Suplicy. Aliás, essa possibilidade nunca existiu. Estamos vivendo uma era em que a negligência, a imprudência e o pouco caso com as nossas vidas permitem que engenheiros construam prédios com estrutura de areia (lembram do Sérgio Naya e o seu Palace 2?) e estações de metrô que caem feito peças de dominó. Enquanto em outros lugares do mundo, o povo sofre com terremotos, tsunamis e ondas de calor, no país do “levar vantagem”, assistimos incrédulos a uma seqüência de tragédias que não vêm da natureza e, portanto, poderiam ser evitadas.

Como todos nós sabemos, a culpa nem sempre é do mordomo. À lista de vítimas do acidente com o avião da Tam, acrescento o meu nome e o de todos nós brasileiros, que padecemos diariamente pela incompetência das nossas autoridades em gerir esse país abençoado por Deus e bonito por natureza.

sábado, 7 de julho de 2007

Answer the call

Hoje o canal Multishow está apresentando o Live Earth, um evento promovido por Al Gore, ex-vice-presidente dos Estados Unidos, para alertar a população mundial para os nossos problemas ambientais. Mais de 150 artistas de diversos países estarão se apresentando pra multidões em oito cidades de continentes distintos. Talvez poderíamos citar essa iniciativa como uma das vantagens da globalização.

Acho ótima a idéia de disseminar a consciência ecológica. Não custa nada separar o lixo seco do orgânico, fechar a torneira quando escova os dentes ou faz a barba, usar menos papel e sacolas plásticas, consumir produtos ecologicamente corretos, desligar a luz e a TV quando não estiver utilizando. Cada um fazendo a sua parte, quem sabe a gente possa pressionar empresários, para que não poluam nossos rios com componentes químicos, e as autoridades, para que fiscalizem (sem se corromper!) o cumprimento das leis ambientais.

Espero que o evento seja uma forma verdadeira de lutar pelo desenvolvimento sustentável do nosso planeta. E não uma maneira enganosa de empresas e pessoas ganharem vitrine posando de ecológicos.

A propósito, lindo o filme que a agência África criou para o Itaú especialmente para o patrocínio do Live Earth. Confira abaixo.

Live Earth A, B, C e D

Coisas de casal

Nessa semana assisti a dois filmes que falam, cada um ao seu modo, de relacionamentos amorosos conturbados. Cão sem Dono, baseado no livro Até o dia em que o cão morreu, de Daniel Galera, com direção de Beto Brant e Renato Ciasca; e Pecados Íntimos, cujo nome original é Little Children, e tem direção de Todd Field.

No primeiro filme, um casal se conhece, troca carinhos, experiências, mas apesar do sexo, não troca intimidades. No segundo, existem vários casais problemáticos, que dividem o mesmo teto e se esquecem de dividir desejos, fantasias e preocupações.

Nos dois casos, o problema recorrente é a falta de diálogo. As pessoas não conversam sobre suas insatisfações, suas carências, e acabam se distanciando do companheiro. Falar sobre o que não está bom incomoda, não é confortável. E muitas vezes dói. Mas acredito que só assim podemos construir relacionamentos realmente fortes, transparentes e leais. Do contrário baseamos nossa vida em relações tão descartáveis quanto um copo plástico de cafezinho. Frágeis e antiecológicos.

Cão sem Dono, pelo menos, terminou com um final feliz. Na vida real, ainda bem, a gente não precisa esperar o fim pra buscar a felicidade.

Medéia e Jasão, em Porto Alegre

Está em cartaz, no Theatro São Pedro, uma montagem de Medéia, de Eurípides, dirigida por Luciano Alabarse. A tragédia grega que fala de vingança do início ao fim impressiona não só pela qualidade do elenco como pelo cuidado com figurino, cenário e iluminação. Já na entrada, antes de iniciar o espetáculo propriamente dito, o público é recebido pelos tripulantes do Argos que, quase silenciosamente, mostram suas agruras e dão uma idéia do que a peça irá oferecer. Durante duas horas somos envolvidos pela história da mulher que abandona sua terra, é traída pelo marido e resolve vingar sua sorte. É difícil sair do teatro sem refletir sobre temas polêmicos como traição, vingança e solidão. Vale a pena e ainda dá tempo de conferir.

sexta-feira, 6 de julho de 2007

Seis ou meia dúzia

Você já optou pela cobrança da sua conta telefônica por pulsos ou por minutos?

terça-feira, 3 de julho de 2007

Adeus, Neve!

Depois da margarina, agora nós, publicitários, vendemos felicidade em um vaso sanitário. Vale a pena dar uma olhada no mais inovador produto do mercado. Inacreditável!
Confira em cleanishappy.com.

segunda-feira, 2 de julho de 2007

País das ilusões

Ontem o Brasil ganhou de 3x0 do time do Chile, pela Copa América. Três gols de Robinho. Quem vê o resultado até pensa que a seleção brasileira jogou muito. E engana-se. O pior é que tem muita gente achando que estamos bem, inclusive o próprio autor dos gols que declarou modestamente que agora irá trabalhar bastante “para manter essa média”.

A mesma miopia que nos acomete o futebol, nos faz sofrer no campo da educação. A partir de 2008 a UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – reservará 30% das vagas de cada curso para egressos de escolas públicas. Metade dessas vagas será destinada para aqueles que se declararem negros, além de terem estudado em escolas públicas. O vestibular pode não ser a forma mais justa de selecionar estudantes para ingresso no terceiro grau. Mas é perigoso achar que iremos resolver nossas questões culturais e educacionais com a simples reserva de vagas para esse ou aquele grupo de cidadãos. Enquanto isso, descuidamos da educação fundamental, da formação de professores qualificados e capazes de instigar nossas crianças ao pensamento crítico, e da atualização das bibliotecas no ensino público.

Vou torcer pela classificação do time comandado por Dunga, na Copa América. E pela seleção de craques que queremos formar em nossas escolas e universidades. Mas sem ilusões.

sexta-feira, 29 de junho de 2007

Som na caixa

O mundo seria muito triste sem música. E sem graça. Cada dia pra mim tem uma trilha sonora. Às vezes mais alegre, pulsante; outras mais melancólica ou reflexiva. Hoje, voltando de um bate-papo sobre “música e viagens”, me dei por conta que a música nos leva muito longe, nos faz viajar sem sair do lugar. Com a vantagem que, pra ir além, você não precisa enfrentar esperas nem filas em aeroportos. Basta sintonizar o rádio, rolar aquele vinil que está esquecido na prateleira ou ligar o seu mp3. Escolha o seu som preferido e boa viagem.

quarta-feira, 27 de junho de 2007

RTA advertisement (NSW, Australia)

Bem-humorada e inteligente a campanha do governo australiano para incentivar a redução da velocidade no trãnsito. Adorei!

terça-feira, 26 de junho de 2007

Gravuras pra apreciar de lupa

Ainda há bastante tempo, mas convém não deixar pra última hora. Um pedacinho da Espanha está exposto no Margs, ou uma fatia considerável, dependendo do ponto de vista. A exposição Goya – As gravuras da coleção Caixanova – é imperdível. Pegue uma lupa na entrada do salão principal e vá descobrindo os detalhes gravados por esse espanhol ilustre, que produziu sem descanso mesmo parcialmente cego e totalmente surdo. Crítica aos políticos e às barbaridades da guerra, dramaticidade e fartas doses de ironia estão nas quatro coleções expostas no Margs: Os provérbios ou Disparates, Os Caprichos, Os Desastres da Guerra e A Tauromaquia. Eu diria que Goya retrata “a vida como ela é”, ou era, naquele final de século XVIII e início de século XIX. A mostra foi prorrogada até o dia 5 de agosto e não dá pra perder. Se sobrar um tempinho, quero passar de novo lá!

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Perdas e ganhos

Não foi dessa vez que o Imortal Tricolor conquistou a sua terceira Libertadores da América. Mas não faltarão oportunidades. Conquistamos com muita garra e determinação um lugar na final do campeonato. Na próxima vez a gente chega lá!

Na semana passada, ouvi o psicólogo Mário Corso falando no rádio sobre o porquê da paixão dos gaúchos pelo futebol e, principalmente, por seus times. Ele tem uma teoria bem interessante, de que os gaúchos perderam grandes empresas como a Varig, a Ipiranga e, pra não perder o orgulho dos pampas, investiram no amor à camiseta do time do coração.

Ontem, o Grêmio perdeu o jogo, perdeu a chance de ser Tricampeão da América. Mas ganhou em reconhecimento do bom trabalho feito e, mais do que tudo, em demonstração de uma torcida positiva, parceira em todos os momentos. Até nos mais difíceis. Parabéns, Grêmio! E parabéns, tricolores, pelo grande espetáculo!

terça-feira, 19 de junho de 2007

Eu acredito no tri

Leia o manifesto, faça downloads e deixe seu recado no mural. Se você tem a alma tricolor como eu, comece a torcer pelo Grêmio agora mesmo e visite euacreditonotri.com.br. A decisão é hoje!

39,5º

Passei o último final de semana na cama, a dois, sob as cobertas, suando muito. Infelizmente não foi tão divertido quanto você pode estar imaginando. Eu e o Duda tivemos febre muito alta, daquelas de deixar o corpo dolorido e a mente sem raciocinar. Descobri nesses dias que a febre é a taxa compulsória que o corpo paga por não ter respeitado os próprios limites. Na semana passada, dormi pouco, não me alimentei corretamente, trabalhei muito e me diverti pouco. E deu no que deu. Acho que estar febril não deixa de ser um jeito esquisito de meditar. Afinal de contas, ficamos em um estado de consciência que facilita o autoconhecimento. Ou, pelo menos, a compreensão de até onde o corpo agüenta. De um jeito nada prazeroso, é claro. Vale citar um ponto positivo desse episódio (eu acredito que existam vários): tenho certeza de que algumas das minhas tensões devem ter sido exorcizadas junto com o suor da febre. Pensando bem, será que toda essa febre foi causada por cansaço, gripe ou ansiedade com o jogo de amanhã?

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Paixão tricolor

Adorei o título do anúncio criado pela agência Matriz, que vi hoje em Zero Hora: “Ontem foi Dia dos Namorados. Hoje é dos APAIXONADOS”. Só a paixão pra acreditar que o Imortal ainda tem chances na final da Libertadores. Infelizmente, o jogo de hoje começou com um gol ilegal do Boca Juniors (como na última Libertadores da América que participamos e fomos claramente garfeados pelo juiz na semifinal). E o placar dos 90 minutos não nos foi favorável. Não pense você que eu acredito em duendes. Creio na garra dos jogadores, na competência do Mano Menezes, na boa estrela da direção do Grêmio e na sempre incansável torcida tricolor. Vamos, Grêmio! Tu és único por esses rincões! Veste a camiseta em azul, branco e preto pra fazer bonito na próxima quarta-feira e figurar pela terceira vez no pódio dos campeões da América.

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Viva o amor!

Amanhã é dia dos namorados. Mesmo que você saiba que esta é uma data feita pra que o comércio fature mais, não custa dar uma turbinada na relação. Ninguém precisa se atolar no cartão de crédito pra fazer a pessoa amada feliz. Esqueça o celular que está em promoção por 10x de R$ 39,90 ou sair pra jantar no restaurante da moda (que terá uma fila de dobrar a esquina amanhã)! Posso até me enganar, mas um jantar em casa, preparado com carinho, a luz de velas e regado com um bom vinho expressam bem melhor o amor que você guarda aí, dentro do seu coraçãozinho apaixonado. Vale mandar flores, inventar surpresas, providenciar aquilo que ele (ou ela) está precisando e não tem tempo de comprar, presentear ingressos pra um show legal no fim de semana... Vale até pedir uma pizza desde que se crie um clima especial pra data. Só não vale cair na mesmice de comprar um ursinho de pelúcia ou esquecer de dar um beijo e um abraço especiais em quem você ama. E daí que é mais uma data comercial? Vamos lucrar no amor também!

quinta-feira, 7 de junho de 2007

Na final



A TV aqui de casa ficou bem assim quando terminaram as transmissões da madrugada de ontem. :D


segunda-feira, 4 de junho de 2007

I´m Lost

Ontem terminei de assistir à terceira temporada do Lost. Não posso acreditar que terei de esperar até o próximo ano para descobrir os mistérios criados pela série. Quem é Jacob? Ele realmente existe? O que é a nuvenzinha preta que matou Eco e assusta os sobreviventes do vôo 815 da Ocean Air? Onde está Michael? Os números 4-8-15-16-23-42 são malignos mesmo? O que eles representam? Ben é um lunático, está a serviço de seres alienígenas, de outros “Others” ou de malucos da iniciativa Dharma?

Pior: é possível que mesmo na quarta temporada muitas dessas e outras questões não sejam respondidas porque o seriado, a exemplo de Star Wars, a saga de George Lucas cujo primeiro episódio comemorou 30 anos no último 25 de maio, terá seis capítulos (ou temporadas). “Lost” estou eu!

quinta-feira, 31 de maio de 2007

Grêmio 2 x 0 Santos

Olha só como é que eu fiquei depois do jogo de hoje. Não é um amor o meu babeiro azul?

quarta-feira, 30 de maio de 2007

Greatest hits


A pedida do dia: chá bem quente e cachecol feito pela mãe (esquenta mais do que os outros!).

sábado, 26 de maio de 2007

"Vamos ter de jogar alguma coisa fora"

Às vezes me envergonho de ser publicitária, de ter uma profissão que vende felicidade em um pote de margarina. Ainda assim penso que poderíamos utilizar a publicidade pra falar de coisas boas, pra educar e pra reduzir os preconceitos que permeiam a nossa cultura.

Hoje assisti ao novo comercial do Peugeot 206, em que um casal motorizado tem dificuldades pra subir uma ladeira e, a fim de reduzir peso, resolve colocar fora todas as bugigangas que estão dentro do veículo. Pela janela do carro – em tempos de aquecimento global e na contramão de todos os preceitos ambientais – são atirados livros, frutas, uma frasqueira e até um violão. Por pouco a sogra que está no banco de trás não vai junto.

Você pode me chamar de chata ou de mal-humorada, mas creio que isso seja um desserviço à sociedade. Ainda que com o objetivo de vender, prefiro a campanha do Dove, que mostra mulheres comuns e valoriza a “real beleza”. A campanha da Sadia, “por uma vida mais gostosa”. Ou a da Adidas: “Impossible is nothing”. Esses são exemplos que demonstram que até o intervalo comercial pode ser uma oportunidade pra construirmos um mundo mais harmonioso pra vivermos.

sexta-feira, 25 de maio de 2007

Tap

Em 25 de maio comemora-se o Dia Internacional do Sapateado Americano, em homenagem ao nascimento de Bill “Bojangles” Robinson, um mestre na arte de sapatear. Fiquei sabendo disso hoje, quando fui assistir a um espetáculo muito legal, com sapateadores de várias academias de dança de Porto Alegre. Cheguei em casa incomodando o vizinho do andar de baixo.

quarta-feira, 23 de maio de 2007

A miséria em bronze

O que vemos nas esquinas da Ipiranga, na Praça da Alfândega e, infelizmente, em muitas outras ruas da cidade, está esculpido no trabalho de Arminda Lopes. A exposição “Miseráveis – A estética da dor”, que pode ser conferida até 24 de junho, no Margs, denuncia a miséria de quem vive na rua, o drama social com o qual convivemos, muitas vezes, sem nos dar conta. As palavras abaixo estão escritas em giz sobre paredes negras. As obras em bronze chocam (ao lado, detalhe de “Louca”). E, utilizando as palavras da própria artista, “é impossível passar sem ver”.

É impossível passar sem ver!
É impossível fingir ignorar!
É impossível ficar de boca e coração calados!

Sinto o peito doer, doer aos farrapos... em farrapos pelos farrapos.
Preciso despertar corações que optaram pela cegueira.

É tempo de acordar e sacudir o nosso país.
Algo precisa ser feito. Que este seja um começo: a conscientização.
A conscientização de uma grande mudança.

Deixo uma pergunta:
Quão miserável és tu que não enxergas a miséria do teu povo?

Arminda Lopes

terça-feira, 22 de maio de 2007

Sfumato em ação

Leonardo da Vinci que me perdoe. Mas gostei de brincar com La Gioconda. Deixei o sorriso ainda mais enigmático! Vai lá em surfnetkids.com e brinca também.