terça-feira, 7 de agosto de 2007

Aviso ou acaso?

Uma vez levei minha cachorrinha de estimação ao veterinário porque ela andava muito quieta, sem comer e sem brincar. No momento da consulta, a bichinha não parava de saltitar na mesa do consultório, desmentindo todo o meu discurso.

No último domingo, o volante do meu carro não girou como deveria e um barulho esquisito, de peça frouxa e quebrada, não parava de soar dentro do carro. Levei o carro pra oficina e nada foi encontrado. Nem barulho, nem problema na direção.

Posso dizer que minha cachorrinha estava carente. Mas dizer que meu carro precisava de carinho já é demais! Sei lá por que isso acontece. Será mero acaso? Prefiro acreditar que seja a existência chamando a nossa atenção pra um detalhe, pra algo que pode acontecer e, se tivermos mais cuidado, poderemos evitar.