sábado, 7 de julho de 2007

Coisas de casal

Nessa semana assisti a dois filmes que falam, cada um ao seu modo, de relacionamentos amorosos conturbados. Cão sem Dono, baseado no livro Até o dia em que o cão morreu, de Daniel Galera, com direção de Beto Brant e Renato Ciasca; e Pecados Íntimos, cujo nome original é Little Children, e tem direção de Todd Field.

No primeiro filme, um casal se conhece, troca carinhos, experiências, mas apesar do sexo, não troca intimidades. No segundo, existem vários casais problemáticos, que dividem o mesmo teto e se esquecem de dividir desejos, fantasias e preocupações.

Nos dois casos, o problema recorrente é a falta de diálogo. As pessoas não conversam sobre suas insatisfações, suas carências, e acabam se distanciando do companheiro. Falar sobre o que não está bom incomoda, não é confortável. E muitas vezes dói. Mas acredito que só assim podemos construir relacionamentos realmente fortes, transparentes e leais. Do contrário baseamos nossa vida em relações tão descartáveis quanto um copo plástico de cafezinho. Frágeis e antiecológicos.

Cão sem Dono, pelo menos, terminou com um final feliz. Na vida real, ainda bem, a gente não precisa esperar o fim pra buscar a felicidade.