sábado, 21 de julho de 2007

Mudança de hábito

Desde que iniciei a trabalhar por conta própria, tenho me impressionado com a quantidade de gente que circula pela cidade no horário comercial. Eu imaginava que o trânsito, as lojas e os supermercados só ficavam lotados na hora do rush. Nas últimas semanas me surpreendi com mais uma constatação.

Há uns quinze dias começaram a vender bilhetes para o show do Cirque du Soleil. Resolvi sair na frente e aproveitar o primeiro dia para conseguir os ingressos mais baratos e os melhores lugares. Imaginei que seria fácil, uma vez que o show acontecerá daqui a dez meses, em um teatro que ainda nem foi construído. Quanto engano! Apesar de ser um dia chuvoso e o galpão de vendas estar na rua, havia uma fila de, no mínimo, umas duzentas pessoas. Um mar de guarda-chuvas à espera de ingressos.

Nesta semana se iniciaram as vendas para os espetáculos do Festival de Inverno de Porto Alegre. Shows de artistas de peso como Frank Solari, Engenheiros do Hawai e Fito Paez a preços de barbada: R$ 10 e R$ 15. Cheguei meia hora depois da bilheteria ter aberto e encontrei novamente mais de duas centenas de gaúchos enfileirados em busca de ingressos para o seu divertimento.

Hoje, além de muitas pessoas trabalharem em horários alternativos, ficou pra trás o velho hábito de deixar tudo pra última hora. A cidade cresceu e o mundo mudou enquanto eu estava, das 9h às 19h, trabalhando entre quatro paredes. Aos poucos estou descobrindo o lado de fora do aquário.