segunda-feira, 2 de abril de 2007

- Chuva!

No último sábado, caminhávamos pelo centro de Porto Alegre, em direção ao Margs (como bons brasileiros, deixamos pra última hora pra ver a exposição do Pierre Verger), quando percebemos um alvoroço. Vários vendedores de CDs e DVDs piratas corriam em disparada, carregando seus aramados com apenas as capas dos produtos oferecidos. “Chuva!”, um deles gritou. Certamente a fiscalização estava por ali. De cantinho, vimos uma mulher se desgarrar do grupo, carregando uma grande sacola com a muamba propriamente dita, e entrar em uma loja de celulares na Borges de Medeiros. Pensamos que ela fosse disfarçar a compra de um dos produtos da loja, pra despistar os fiscais. Porém, sem cerimônia, largou a mercadoria atrás do balcão, como se estivesse em casa. Fiquei bege! E me questionei: os comerciantes do centro são coniventes com a pirataria? será que ganham algum benefício para esconder a mercadoria irregular? ou eles não têm alternativa diante da pressão dos piratas? Que a pirataria é vendida a céu aberto em Porto Alegre, não é segredo pra ninguém. A novidade foi saber que o estoque pode ser armazenado em grandes estabelecimentos.