terça-feira, 23 de setembro de 2008

A vida dos outros

No último sábado, depois de uma caminhada no Parcão, comemorei o 20 de setembro com um delicioso chimarrão. Essa foi a única saída do dia. Ficamos em frente à tevê assistindo a diversos filmes. Entre eles, “A Vida dos Outros”, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 2007.

De forma brilhante, esse filme alemão trata de um problema que também permeou a vida dos brasileiros: o cerceamento à liberdade de pensamento e de expressão. Mesmo comandadas por ideologias distintas, as ditaduras sempre têm características em comum. A censura, talvez, seja a mais branda delas.

Lembro de quando caiu o muro de Berlim. Eu estava no cursinho pré-vestibular e já tinha noção do que isso representava para o mundo. Foi em 1989, mesmo ano em que tivemos a nossa primeira eleição direta após o regime militar (e, infelizmente, elegemos o Collor). Aos 18 anos, tive orgulho e convicção para votar pela primeira vez. Pena que hoje eu já não carregue as mesmas certezas.

O filme me fez pensar em tudo isso. Nas diversas realidades, de direita e de esquerda, ao redor do mundo. Na falta de liberdade e no que fazemos quando a obtemos de volta. Pra quem não viu, fica a dica.