quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Papo mulherzinha

No inverno assisti ao espetáculo de stand-up comedy do Marco Luque. Desde lá, como o ator falou bastante a respeito do universo feminino, o Duda sempre me pergunta o nome do esmalte que estou usando. Na semana passada coloquei um rosa-antigo nas unhas (sim, Rafa, existe essa cor!) e me esqueci de verificar o nome do esmalte. Quando fui indagada, não soube o que responder. Em nova visita à manicure, descobri que usara o esmalte Quinta Avenida. Chique, não? Eu estava com unhas que lembravam a metrópole norte-americana! O problema é que achei incompatível o nome do produto com sua cor. Nova York é cosmopolita, palco de todas as tribos e lançadora de tendências. Como poderia um rosa chamado de antigo ser associado a uma cidade que está sempre na vanguarda da moda? Pesquisei, refleti e cheguei a uma conclusão: o que está errado é o nome da cor! Esse rosa não tem nada de antigo. É uma cor linda, marcante, cheia de elegância. E isso tem tudo a ver com a Big Apple, não? Coisa antiga é quinquilharia de antiquário. O Quinta Avenida é um clássico. A Colorama está pra lá de certa. Na próxima vez chamarei o esmalte de Rosa Manhattan!